São João do Piauí, 16 de novembro de 2018
(86)995258210
Geral
CPI ouve José Dirceu e mais quatro na segunda-feira, em Curitiba
29/08/2015 21h27
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras vai ouvir cinco pessoas nesta segunda-feira (31) em Curitiba, entre eles José Dirceu, ex-deputado e ex-ministro da Casa Civil. Ao todo, a CPI pretende ouvir 13 pessoas e fazer pelo menos uma acareação até a quinta-feira (5) na capital paranaense. Todos os depoentes estão presos, acusados de envolvimento em irregularidades na Petrobras no contexto da Operação Lava Jato.

Além de José Dirceu, serão ouvidos na segunda-feira Jorge Zelada, ex-diretor da área Internacional da Petrobras, e três empresários. Dois são executivos da empreiteira Andrade Gutierrez: Otávio Marques de Azevedo e Elton Negrão de Azevedo. O terceiro é João Antonio Bernardi Filho, representante no Brasil da empresa italiana Saipem.

"Como a logística para que essas pessoas venham a Brasília requer policiamento e aviões, a CPI entendeu que é mais prático ir até o Paraná, como fez da outra vez", disse o relator da comissão, deputado Luiz Sérgio (PT-RJ).

Os depoimentos serão tomados no Foro da Seção Judiciária do Paraná, a partir das 9 horas.

Quem são os depoentes:JOSÉ DIRCEU

O ex-ministro foi preso na 17ª fase da Lava Jato. Condenado no processo do mensalão por corrupção ativa, Dirceu cumpria pena de 7 anos e 11 meses de prisão em regime domiciliar desde novembro do ano passado.

O Ministério Público Federal suspeita que a empresa de consultoria de Dirceu tenha recebido dinheiro das empreiteiras que tinham negócios com a Petrobras por meio de contratos fictícios, formalizados apenas para justificar pagamento de propinas.

A empresa de consultoria dele, a JD Assessoria e Consultoria, recebeu R$ 29 milhões entre 2006 e 2013. A defesa do ex-ministro sustenta que os pagamentos foram feitos em troca de serviços de consultoria efetivamente realizados.

As informações que levaram Dirceu novamente à prisão foram fornecidas principalmente por Milton Pascowitch, acusado de ser intermediário de pagamento de propina de empresas contratadas pela Petrobras, como a Engevix, a diretores da empresa.

O empresário contou à Polícia Federal que José Dirceu, por meio da empresa JD Consultoria, intermediou a contratação da Engevix pela Petrobras para a construção da unidade de tratamento de gás de Cacimbas, em Linhares (ES), um projeto de R$ 1,4 bilhão.

JORGE ZELADA

Foi o sucessor de Nestor Cerveró, também preso pela Operação Lava Jato, na diretoria da área Internacional da Petrobras. Ele comandou o setor de 2008 a 2012.

OTÁVIO MARQUES DE AZEVEDO

Presidente da Andrade Gutierrez, Azevedo foi preso na 14ª etapa da Lava Jato. Ele admitiu em depoimento, um mês antes, ter sido procurado por Fernando Antônio Falcão Soares, conhecido como Fernando Baiano, para que a empreiteira fizesse doações de campanha ao PMDB.

ELTON NEGRÃO DE AZEVEDO

Executivo da Andrade Gutierrez, foi preso junto com o presidente da empresa na 14ª fase da Operação Lava Jato. Segundo o ex-gerente de Serviços da Petrobras, Pedro Barusco, a empreiteira pagou propina relativa a seis contratos da Petrobras, com valor total de R$ 4 bilhões.

JOÃO ANTONIO BERNARDI FILHO

Empresário, foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) por corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro junto com o ex-diretor de Serviços da Petrobras, Renato Duque; com a advogada Christina Maria da Silva Jorge; e com os empresários Antônio Carlos Briganti Bernardi e Júlio Gerin de Almeida Camargo.

FONTE: Agência Câmara Notícias
Portal Mandacaru no Facebook:
Notícias recomendadas
Últimas notícias
Mais lidas do mês
Portal Mandacaru | O nº 1 em notícias de São João do Piauí e região

End: Travessa Adail Coelho Maia - Cel:(89)9403-3070 - Redação: [email protected]

© Copyright 2018 - Portal Mandacaru - Todos os direitos reservados

Site desenvolvido pela Lenium