São João do Piauí, 22 de abril de 2019
E-mail: redacao@portalmandacaru.com.br
(86)995258210
Piauí
Wellington Dias joga duro contra paralisação da PM do Piauí
Wellington Dias joga duro contra paralisação da PM do Piauí
01/12/2015 17h39
var uid = '37441'; var wid = '168067';

O governador Wellington Dias (PT) determinou à Procuradoria Geral do Estado que faça a avaliação da legalidade da paralisação das atividades da Polícia Militar, deflagrada no último sábado através do movimento Polícia Legal. Wellington considera que é um crime a Polícia deixar de cumprir com as obrigações. "Na conjuntura vivida não há razão para deixar de cumprir com as obrigações junto à sociedade. E o que está acontecendo aqui é crime militar e, portanto, vamos tratar como tal", afirmou.

 

Ele também entrou em contrato ontem com o Ministério da Justiça e com o Ministério da Defesa para garantir que a população do Piauí não fique sem segurança no final do ano. No último sábado, entidades sindicais da Polícia Militar deflagraram em Teresina o momento Polícia Legal, que retirou o policiamento ostensivo das ruas da capital. Ontem, praticamente não havia homens fazendo o policiamento no centro comercial, cujo movimento se intensifica nesta época do ano por conta das compras de Natal e Ano Novo. 

 

No domingo, o governo anunciou a convocação de 300 policiais que estavam fazendo treinamento para reforçar o policiamento no centro. Ontem, Wellington pediu ao Ministério da Justiça que aumente o contingente de homens da Força Nacional de Segurança no Piauí, e solicitou ao ministro da Defesa, Aldo Rebelo, que autorize o Exército a dar suporte às ações da Polícia em Teresina, Parnaíba e outras cidades enquanto durar o movimento Polícia Legal. A Força Nacional está no Piauí desde março do ano passado. São 90 homens. Em julho, teve renovado o período de estadia aqui por mais seis meses.

 

O governo quer que o Ministério da Justiça aumente em pelo menos 40% o contingente da Força Nacional no estado - seriam enviados, portanto, mais 36 homens. O comando do movimento Polícia Legal se reuniu ontem com o promotor de Justiça Fernando Santos, no Ministério Público Estadual, para discutir a paralisação. Os PMs cobram aumento salarial previsto e acordos assinados pelo Governo Wilson Martins (PSB) e melhoria nas condições de trabalho. Segundo os militares, somente este ano já foram mortos nove policiais. 

 

O promotor constatou desvios de funções e disse que precisa regulamentar a situação. O comandante da PM-PI, coronel Carlos Augustos Gomes, disse que algumas medidas já foram adotadas para contornar o problema, como o reajuste do tíquete alimentação em 150% e compra das folgas dos PMs para evitar que façam outras atividades e corram riscos. "Uma das opções foi recompor os salários dentro da corporação", adiantou.

 

FONTE: DiariodoPovo
Portal Mandacaru no Facebook:
Notícias recomendadas
Últimas notícias
Mais lidas do mês
Portal Mandacaru | O nº 1 em notícias de São João do Piauí e região

End: Travessa Adail Coelho Maia - Cel:(89)9403-3070 - Redação: redacao@portalmandacaru.com.br

© Copyright 2019 - Portal Mandacaru - Todos os direitos reservados

Site desenvolvido pela Lenium