São João do Piauí, 19 de agosto de 2018
(86)995258210
Piauí
Chuvas alagam cidades e deixam moradores desabrigados, no Piauí
Chuvas alagam cidades e  deixam moradores desabrigados, no Piauí
31/01/2016 11h03

O secretário de Defesa Civil, Hélio Isaias, informou que foi constituída uma comissão para monitorar a situação das barragens, estradas e dos municípios afetados pelas chuvas e enchentes. Até agora, a Associação Piauiense dos Municípios (APPM) informou que pelo menos sete municípios estão isolados ou alagados. Já são mais de 60 famílias desabrigadas ou desalojadas.

 

Segundo Hélio Isaias, a comissão está levantando a situação em cada município e adotando as providências necessárias para auxiliar as famílias. A Defesa Civil passou a monitorar as  cidades com outros órgãos como a Chesf, o Instituto de Desenvolvimento do Piauí, Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos e o Dnocs, além do DER-PI. "Estamos acompanhando toda essa situação e buscando adotar as providências", assegurou o secretário.

 

A Defesa Civil destacou que em dois municípios: Dom Inocêncio e Curimatá tiveram alagamentos. São 35 famílias desabrigadas em Dom Inocên-cio e pouco mais de dez em Curimatá. Os municípios de Júlio Borges e de Queimada Nova ficaram isolados por conta das chuvas que quebraram as estradas de acesso. A força das águas provocou o rompimento de dois trechos da PI- 459, em Queimada Nova e duas pontes em Júlio Borges.

 

 A estrada que liga a sede do município de Coronel José Dias e o Parque Nacional da Serra da Capivara, feita recentemente pelo Governo do Estado, se rompeu. A ponte recém construída sobre o Riacho dos Mendes, no município de Canavieiras, não suportou a força das águas e acabou cedendo. Uma das pilastras de sustentação caiu, levando consigo o aterro.  

 

Em Parnaguá, município localizado a 605 km de Teresina, a construção irregular da pista em dois trechos da PI-255 provocou o represamento da água, deixando duas comunidades debaixo dágua. Para tentar amenizar os problemas, moradores quebraram a rodovia com picaretas para agilizar o escoamento das águas. Uma ponte localizada na PI-117, que liga os municípios de Batalha a Esperantina desabou. A chuva também deteriorou parte de uma das cabeceiras da construção.

 

A PI-459 já registrou outros rompimentos em decorrência da chuva. O trecho que liga as cidades de Betânia e Paulistana se rompeu em novembro de 2014 e as obras só foram iniciadas um ano depois. O diretor do Departamento de Estradas e Rodagens (DER-PI), José Dias, informou que os reparos devem ser concluídos em meados deste ano.

 

O secretário informou que em Dom Inocêncio o grande problema é o acesso. A estrada foi cortada para São Lourenço e para Coronel José Dias. "Lá tem pequenos riachos que agora estão com o volume acima do normal. Estivemos em contato com o prefeito Neném, dizendo que acionamos o Corpo de Bombeiros para mandarmos alimentos para lá, através da barragem do Jenipapo até a localidade Moreira, e de lá seque de carro. E já estamos vendo o acesso também", adiantou.

 

Outro trabalho que está em andamento é o monitoramento de barragens que estão cheias e a recuperação de outras que estavam avariadas. "Tem muitas barragens que estão lotadas, mas não tem risco de rompimento e alagação. Estamos mo-nitorando isso com os órgãos responsáveis pelas barragens. E monitoramos o Rio Parnaíba acompanhando junto com a Chesf", finalizou Hélio Isaias.

 

Até o momento a Associação Piauiense de Municípios (APPM) detectou maiores problemas nos municípios de Coronel José Dias, Curimatá, Canavieira, Queimada Nova, Riacho Frio, Júlio Borges e Dom Inocêncio.

 

"As prefeituras estão tentando amenizar os problemas causados pelas chuvas, como estradas interrompidas, queda de pontes, ruptura de barragens, com o escasso recurso que temos e a ajuda da população. Necessitamos de apoio urgente dos governos do Estado e Federal, através da Defesa Civil, do exército e outras instituições", reclama o presidente da APPM, Arinaldo Leal.

 

A orientação da APPM é que os municípios prejudicados elaborem um relatório dos danos e enviem para a Secretaria de Defesa Civil do Estado e para a própria APPM que cobrará ações imediatas desse órgão, servindo como ponte entre o município e o governo.

 

 

FONTE: DiáriodoPovo
Portal Mandacaru no Facebook:
Notícias recomendadas
Últimas notícias
Mais lidas do mês
Portal Mandacaru | O nº 1 em notícias de São João do Piauí e região

End: Travessa Adail Coelho Maia - Cel:(89)9403-3070 - Redação: [email protected]

© Copyright 2018 - Portal Mandacaru - Todos os direitos reservados

Site desenvolvido pela Lenium