São João do Piauí, 18 de janeiro de 2018
(86)995258210
Etado do Piauí estima rombo de 372 milhões no Orçamento
Etado do Piauí estima rombo de 372 milhões no Orçamento
19/06/2016 17h21

O governo do Piauí chegará ao final deste ano com um déficit primário de R$ 372 milhões, o que equivale a 159% de saldo negativo no cálculo entre receitas menos despesas, isso em termos de preços constates. A previsão é da Secretaria Estadual de Planejamento (Seplan), que apresentou as estimativas em audiência pública realizada quarta-feira na Assembleia Legislativa, quando detalhou o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) para 2017.

 

Segundo as planilhas apresentadas pela Seplan, as receitas primárias para este ano são de R$ 7,735 bilhões contra R$ 8,101 bilhões de despesas, o que equivale a um  saldo negativo de R$ 372,802 milhões. A previsão de déficit para 2017 também foi divulgada e estima que esse valor irá dobrar. O governo estima que ficará em mais de R$ 700 milhões também em valores constantes.

 

Na prática, significa que o Estado terá que adotar medidas para poder arcar com esse saldo negativo sem comprometer o pagamento da folha de pessoal e o custeio, e ainda fazer investimentos. Para o secretário da Seplan, Antônio Neto, o governo precisa restabelecer o equilíbrio fiscal para conter o avanço desse déficit. "O foco número um é o equilíbrio fiscal e financeiro do Estado, nós temos que buscar o equilíbrio, nós não podemos fazer uma estimativa de despesa no segundo semestre, por exemplo, maior do que a receita", frisou o secretário.

 

Ele acrescentou que na elaboração da Lei de Diretrizes Orçamentárias pesou muito o cenário de crise enfrentado por todo país com retração de receitas e aumento de despesas. Entre as receitas que tiveram queda no estado o destaque vai para o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) que deve chegar a pouco mais de R$ 1,1 bilhão até o final de 2016.

 

Para se ter uma ideia da queda, em 2015, o governo arrecadou R$ 3,1 bilhão de ICMS.

 

Também houve queda no Fundo de Participação dos Estados (FPE) do ano passado para cá. Em 2015, foram transferidos 3,3 bilhões contra R$ 1,1 este ano, praticamente, o mesmo valor que será arrecada com ICMS. As perdas do ICMS e do FPE já somam mais de R$ 4 bilhões. Valores que precisam ser compensados. Isso, sem falar no "rombo" com a previdência estadual de R$ 1,050 bilhão até o final do ano.  

 

Diante desse cenário, Antônio Neto, diz que é preciso cautela na elaboração do orçamento para o próximo ano. "Essa LDO desse ano se reverte de um caráter de muitas preocupações, nós vivemos aí um momento econômico bastante adverso, o país tem uma tendência para 2017 ainda de retração de receita, a gente sabe disso, que tem implicações no Estado do Piauí, portanto, ao elaborar, as diretrizes, as normas, os pa-râmetros e o balizamento para elaborar o orçamento de 2017, a gente vai ter que ter uma certa cautela na hora de elaborar essa lei", concluiu.

 

 

 

FONTE: DiariodoPovo
Portal Mandacaru no Facebook:
Notícias recomendadas
Últimas notícias
Mais lidas do mês
Portal Mandacaru | O portal de notícias mais completo de São João do Piauí

End: Travessa Adail Coelho Maia - Cel:(89)9403-3070 - Redação: [email protected]

© Copyright 2018 - Portal Mandacaru - Todos os direitos reservados

Site desenvolvido pela Lenium