São João do Piauí, 11 de dezembro de 2018
(86)995258210
Geral
Dono da JBS grava Temer dando aval para compra de silêncio de Cunha, diz jornal
Dono da JBS grava Temer dando aval para compra de silêncio de Cunha, diz jornal
17/05/2017 23h46

O presidente Michel Temer teria sido gravado dando apoio para o pagamento de mesada ao deputado cassado, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para ficar calado na prisão. "Tem que manter isso, viu?", disse Temer ao empresário Joesley Batista. A informação foi divulgada na noite desta quarta-feira pelo site do jornal “O Globo”. Ainda de acordo com a publicação, o operador Lúcio Funaro também receberia valores mensais para poupar interlocutores. As gravações teriam sido feitas em março em reunião entre o presidente o empresário.

Ainda nas gravações - feitas pelos donos da JBS, Joesley Batista e o irmão, Wesley -, Temer teria indicado o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver questões da empresa J&F e, logo depois, foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil. 

De acordo com o jornal, pela primeira vez foram feitas “ações controladas”. Foram sete ao todo, que resultaram em gravações e flagrantes. A investigação chegou a marcar as cédulas usadas para pagamento das propinas e chip nas malas. 

Na quarta-feira da semana passada, segundo o jornal, foram feitos os depoimentos ao ministro-relator da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin. No mês passado, os donos da JBS já haviam feito depoimentos ao Procurador-Geral da República. 

Joesley ainda teria revelado o pagamento de cerca de R$ 5 milhões para Eduardo Cunha, mesmo depois de ele ser preso, como saldo de propinas anteriores. Joesley ainda declarou que devia R$ 20 milhões a Cunha pela tramitação da lei sobre desoneração para o setor do frango. 

O ex-ministro Guido Mantega foi apontado pelo dono da JBS como o contato dele com o PT. Ele seria o elo com o partido para o pagamento dos valores irregulares e distribuídos para integrantes do partido. 

O senador Aécio Neves (PSDB) também foi implicado na delação. O tucano teria sido gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley. O valor, segundo a reportagem do jornal O Globo, teria sido entregue a um primo dele, e o ato filmado pela Polícia Federal. Ainda de acordo com a reportagem, o dinheiro pago teria sido rastreado e foi parar na conta do senador Zezé Perrella (PMDB-MG). 

PRESIDENTE DEFENDE AMPLA APURAÇÃO Em nota, o presidente Michel Temer se proncuniou sobre as acusações e pediu apuração dos fatos. Leia o texto na íntegra:

O presidente Michel Temer jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. Não participou e nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar.

O encontro com o empresário Joesley Batista ocorreu no começo de março, no Palácio do Jaburu, mas não houve no diálogo nada que comprometesse a conduta do presidente da República.

O presidente defende ampla e profunda investigação para apurar todas as denúncias veiculadas pela imprensa, com a responsabilização dos eventuais envolvidos em quaisquer ilícitos que venham a ser comprovados.

FONTE: em.com.br
Portal Mandacaru no Facebook:
Notícias recomendadas
Últimas notícias
Mais lidas do mês
Portal Mandacaru | O nº 1 em notícias de São João do Piauí e região

End: Travessa Adail Coelho Maia - Cel:(89)9403-3070 - Redação: [email protected]

© Copyright 2018 - Portal Mandacaru - Todos os direitos reservados

Site desenvolvido pela Lenium