São João do Piauí, 15 de outubro de 2018
(86)995258210
Política
Procurador rebate crítica de Wellington ao MPE
Procurador rebate crítica de Wellington ao MPE
20/01/2015 09h27
O procurador regional eleitoral do Piauí, Kelston Lages, protestou ontem, durante a sessão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PI), contra as declarações do governador Wellington Dias (PT) e da vice-governadora Margarete Coelho (PP) criticando a decisão do Ministério Público Eleitoral de pedir a cassação dos candidatos eleitos e não eleitos acusados de crimes eleitorais durante a campanha do ano passado. Entre os representados pelo procurador, estão o governador e a vice-governadora, além de outros 25 eleitos e outros derrotados e pessoas que não se candidataram.

No total, o Ministério Público entrou com 47 ações contra candidatos e não candidatos. Contra os candidatos eleitos, Kelston Lages pediu a cassação do mandato ou anulação do diploma, e inelegibilidade por oito anos. Wellington Dias disse estranhar o pedido de cassação do mandato dele e garantiu que não cometeu infrações eleitorais durante a campanha. A vice-governadora Margarete Coelho que afirmou que as denúncias têm cunho pessoal.

Kelston Lages confirmou que são 47 ações contra políticos que não cumpriram a lei eleitoral e garantiu que vai continuar cumprindo o seu papel de fiscalizador. "Esse tipo de declaração não contribue para termos um processo eleitoral limpo. Qualquer neó-fito sabe dos fatos que são su-ficientes para as ações", afirmou ele, durante a sessão no Tribunal Regional Eleitoral. "Somos criteriosos para estas ações, e como representante do Ministério Público, tenho o dever de fazer o registro. Continuaremos firmes, serenos e rigorosos no cumprimento do nosso papel, independentemente de quem tem seus direitos contrariados", acrescentou o procurador.

Kelston Lages considerou a reação do governador e da vice-governadora uma agressão à Justiça Eleitoral. "Às vezes a gente se sente, principalmente, quando são pessoas que têm papel relevante na administração fazem esse tipo de comentários. Mas o nosso papel será cumprido", observou. E reclamou que o Ministério Público é elogiado quando atua ou age contra os adversários de quem está no poder. "Quando fazemos nosso trabalho do outro lado, somos atacados", disse.

Segundo ele, porém, o Ministério Público vai continuar cumprindo seu papel de fiscalizador. "Os processos eleitorais devem se dar de forma limpa e preservar a vontade do eleitor", lembrou. Os membros do Tribunal Regional Eleitoral se solidarizaram com Kelston Lages e destacaram o trabalho desenvolvido pelo Ministério Público no Piauí.

Leia também:PRE-PI ajuizou 47 ações contra candidatos eleitos

FONTE: Diário do Povo|Piaui
Portal Mandacaru no Facebook:
Notícias recomendadas
Últimas notícias
Mais lidas do mês
Portal Mandacaru | O nº 1 em notícias de São João do Piauí e região

End: Travessa Adail Coelho Maia - Cel:(89)9403-3070 - Redação: [email protected]

© Copyright 2018 - Portal Mandacaru - Todos os direitos reservados

Site desenvolvido pela Lenium