São João do Piauí, 22 de fevereiro de 2020
(86)995258210
Geral
Zé Filho fala sobre perseguições do governo que fizeram as obras parar
Zé Filho fala sobre perseguições do governo que fizeram as obras parar
21/08/2014 07h57
O candidato à reeleição, governador Zé Filho (PMDB) foi o entrevistado desta quarta-feira (20/08) no Piauí TV 2ª edição, na série de entrevista com os candidatos a governador do Estado.

O peemedebista foi de cara confrontado pela jornalista Denise Freitas sobre a mudança o porque da mudança do nome de Marcelo Castro pelo seu, e se esta "quebra de acordo" não prejudicaria em sua campanha.

"Agradeço sua pergunta e a oportunidade de esclarecer aos piauienses. O fato é que sempre dise que não seria candidato de mim memo. Nunca iria impor que gostaria de ser candidato. Naquele momento, em janeiro, o ex-governador me disse que fez uma reunião com os partidos da base aliada e naquele tempo, o meu nome não agregava, na maioria dos partidos", disse.

Zé Filho completa que logo que assumiu o governo teve a oportunidade de "tomar algumas ações" e fazer algo como governador, citando a abertura do Albertão, melhorias no Iapep Saúde, regulação dos leitos do Hospital Getúlio Vargas. "O que aconteceu, os outros partidos me procurara e acharam que eu deveria ser o candidato", completando que ele mesmo pediu que os partidos ouvissem Marcelo Castro para saber se seu nome tinha apoio da base e consentimento de Castro.

Lembrando que Zé Filho já participou da base que apoiou Wellington Dias (PT) ao senado, a jornalista perguntou o porque, de só agora, levantar o fato de que recebeu o estado quebrado.

"Ele foi candidato a senador na nossa chapa, mas ele foi que saiu da nossa base aliada, e todos os outros partidos estão conosco, ele que se juntou a outros partidos que não votaram na gente", disse, sendo interrompido para responder diretamente o questionamento.

"O candidato da turma do PT saiu do nosso governo agora. Ele saiu em dezembro do ano passado. Mas o estado não está quebrado, mas também não temos rios de dinheiro" disse, completando sobre a situação financeira do governo do Estado.

Questionado sobre o porque do atraso de obras estruturantes como o Rodoanel e a duplicação da Frei Serafim, Zé Filho respondeu: "Porque houve uma mudança de regra quando houve mudança de governo. Nós tínhamos um contrato com o Banco do Brasil, com dinheiro de financiamento de empréstimo feito junto ao banco, dinheiro que o estado está pagando. Mas com a troca de governo eles mudaram a regra e tivemos uma dificuldade muito grande para nos adequar a essa mudança de regra. Até fiz denúncias, que era perseguição do governo. Como se muda uma regra depois que o jogo começou? E depois disso, eles liberaram o empréstimo".

FONTE: 180graus
Portal Mandacaru no Facebook:
Notícias recomendadas
Últimas notícias
Mais lidas do mês
Portal Mandacaru | O nº 1 em notícias de São João do Piauí e região

End: Travessa Adail Coelho Maia - Cel:(89)9403-3070 - Redação: [email protected]

© Copyright 2020 - Portal Mandacaru - Todos os direitos reservados

Site desenvolvido pela Lenium