São João do Piauí, 06 de maio de 2021
(86)995258210
Joe
Por: Joe
Sindicato endurece movimento contra o prefeito Gil Carlos até decisão do Tribunal de Contas
Professores fazem manifestação em frente ao prédio da Prefeitura de São João do Piauí
Sindicato endurece movimento contra o prefeito Gil Carlos até decisão do Tribunal de Contas
07/08/2017 23h20

Os professores da rede municipal de ensino marcaram presença mais uma vez nas ruas no dia de hoje, 07. Desta vez, o movimento do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SINDSERM) esteve concentrado no SINTE-PI, núcleo de São João do Piauí.

  Professor Zé Hélder lançando estratégias para o movimento

De acordo com informações repassadas ao PORTAL MANDACARU, o movimento vai lançar estratégias para forçar o prefeito a tomar uma posição sobre como os recursos do Fundef deverão ser divididos.

Depois da concentração no prédio do SINTE-PI, os professores lotaram o plenário da Câmara Municipal onde tiveram o apoio dos vereadores de oposição. Em seguida, enfrentando altas temperaturas, o presidente do Sindserm juntamente com os servidores fizeram registros de fotos em frente ao prédio da Prefeitura Municipal de São João do Piauí, em sinal de protesto ao prefeito do Gil Carlos.

Professores concentrados no prédio do SINTE-PI, núcleo de São João do Piauí

Ainda em frente à prefeitura, o movimento docente fez um cordão humano ao redor do prédio da sede do Poder Executivo, que lembrou o ano de 2013, quando o prefeito Gil Carlos e o seu tio, Ednei Arcoverde Modesto Amorim, participaram de uma marcha religiosa no município.

 Cordão humano, em 2013, em que aparece o tio do prefeito Gil Carlos em uma marcha religiosa

 Cordão humando feito pelos professores, em 2017, em protesto pelos recursos do Fundef

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) realizará no dia 25 de agosto uma sessão extraordinária para discutir o desbloqueio e a aplicação dos recursos de precatórios do antigo Fundef (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério), pagos pela União aos municípios piauienses.

Assim como São João do Piauí, outros municípios piauienses estão com recursos do Fundef bloqueados em suas contas por decisão do Tribunal de Contas. Uma decisão normativa da Corte de Contas vincula a liberação dos recursos a investimentos na educação, pagamento de dívidas do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) e de dívidas trabalhistas, além de abono aos professores. Há ainda decisões do Ministério Público Federal, de outros Tribunais de Contas e de outras instâncias da Justiça sobre como e em que os recursos devem ser aplicados.

Segundo o presidente da APPM, Gil Carlos, os municípios têm aproximadamente R$ 400 milhões de recursos do Fundef bloqueados. Os prefeitos querem que o TCE-PI coloque o tema em discussão e que seja tirada uma decisão que garanta a liberação dos recursos e sua aplicação, sem risco de sofrerem penalidades. Eles também defendem uma decisão unificada dos órgãos de controle e da Justiça sobre a aplicação dos recursos.

      Camisas do movimento classista  Manoel Raimundo, presidente do SINDSERM, orinetando o movimento

  Professoras Teresinha e Maria Creusa em apoio aos professores

Vereadores de oposição apoiam os professores do municipio

   Professores posam com as camisas do movimento em frente ao prédio do SINTE-PI

  Professores fazem registro de fotos do movimento em frente à Camara Muncipal de Vereadores

FONTE: REDAÇÃO
Portal Mandacaru no Facebook:
Notícias recomendadas
Últimas
Portal Mandacaru | O nº 1 em notícias de São João do Piauí e região

End: Travessa Adail Coelho Maia - Cel: (86) 99525-8210 - Redação: [email protected]

© Copyright 2021 - Portal Mandacaru - Todos os direitos reservados

Site desenvolvido pela Lenium