São João do Piauí, 05 de abril de 2020
(86)995258210
Educação
Em Carta Aberta, Sinte Piauí rebate ameaças do governo do Estado
Em Carta Aberta, Sinte Piauí rebate ameaças do governo do Estado
27/02/2020 18h55

Durante a entrevista coletiva realizada, na manhã desta quinta-feira (27), no auditório do Sinte Piauí, a presidente da entidade, após fazer um breve histórico do movimento paredista e das demandas que levaram a categoria a deflaga-lo, fêz a leitura de uma carta aberta do Sinte Piçauí dirigida a sociedade.

Carta Aberta da Entidade:

O Sinte Piauí, em nome dos 40.000 educadores filiados a esta entidade, esclarece para a povo do Piauí, alguns pontos em relação ao atual movimento grevista, no qual estamos envolvidos desde o dia 10 de fevereiro de 2020.

Há 12 anos, a Lei n° 11.738/08, desencadeou um processo de valorização, através do reajuste dos trabalhadores iniciantes na educação básica pública, dado de forma linear, ou seja, estendido a todos os profissionais da educação.

No ano de 2019, os aposentados e aposentadas da educação pública do Piauí, não receberam o reajuste, e este ano também, de acordo com a “proposta” apresentada pelo governo Wellington Dias na Assembleia Legislativa, não o receberão.

Os servidores ativos receberam, em alguns meses daquele ano, o reajuste na forma de auxílio alimentação, que, posteriormente, seria incorporado ao vencimento, condicionado a que o governo saísse do limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), o que não ocorre há dois anos, apesar do “padrão China de crescimento”.

Estamos sendo sacrificados pela má gestão e a greve sendo criminalizada pelo governador e secretários quando afirmam, em um esforço midiático, que ganhamos acima da Piso, “esquecendo” de citar que englobam gratificações. Do mesmo modo, se distanciam da verdade ao fazer a defesa do diálogo, visto que, nas raras vezes em que simulou negociar, fez “ouvidos de mercador” as questões referentes a merenda e transporte escolar, infraestrutura das escolas, promoções, aposentadorias e respeito à Lei do Piso.

Na tentativa enfraquecer a greve, as falácias associaram ameaças de corte de ponto, um contrassenso, que nos liberaria de repor as aulas perdidas, o que sempre cumprimos por responsabilidade social.

Muitos dos seus integrantes do governo e alguns deputados da base atuaram nos movimentos sociais, inclusive no Sinte Piauí, no entanto, tentam manter o arrocho salarial sobre a nossa categoria. Continuaremos resistindo, dando uma aula de dignidade e cidadania para os nossos alunos e para a sociedade, mas, também para os que conspurcam a sua biografia se posicionando francamente contra a classe trabalhadora e a educação pública.

FONTE: Ascom
Portal Mandacaru no Facebook:
Notícias recomendadas
Últimas notícias
Mais lidas do mês
Portal Mandacaru | O nº 1 em notícias de São João do Piauí e região

End: Travessa Adail Coelho Maia - Cel:(89)9403-3070 - Redação: [email protected]

© Copyright 2020 - Portal Mandacaru - Todos os direitos reservados

Site desenvolvido pela Lenium