São João do Piauí, 04 de março de 2021
(86)995258210
Piauí
Joe
Por: Joe
Trabalhadores da Saúde decidem deflagrar greve por tempo indeterminado no Piauí
Trabalhadores da Saúde decidem deflagrar greve por tempo indeterminado no Piauí
23/06/2020 12h11

Trabalhadores de diversas categorias da saúde pública do Piauí (exceto médicos) decidiram em Assembleia Geral, nesta sexta-feira (19), decretar greve por tempo indeterminado nos hospitais do estado, a partir das 07h30 da próxima quinta-feira (25).

A assembleia foi realizada pelo Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde Pública do Piauí (SINDESPI), juntamente com o Sindicato dos Enfermeiros, Auxiliares e Técnicos de Enfermagem do Piauí (SENATEPI), com participação do Sinfito, Sinttearpi, Crefito e Coren-PI, representando fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, enfermeiros  e radiologistas que apoiam o movimento grevista.

Geane Sousa, presidente do Sindespi, explica que as categorias seguirão os trâmites legais com notificações e ofícios para que os hospitais façam escalas com apenas 30% dos trabalhadores. 

“Vamos preparar documentação e comunicação do resultado da assembleia, seguir o prazo de 72 horas, e na quinta-feira a gente inicia o movimento grevista em frente ao Hospital Getúlio Vargas saindo em caminhada para a frente do Palácio de Karnak”, adianta Geane.

Os trabalhadores reclamam do não pagamento de insalubridade de 40% e da baixa qualidade dos Equipamentos de Proteção Individual fornecidos a eles. Alegam ainda que mais de mil profissionais de saúde já testaram positivo para a doença no Piauí, segundo o Conselho Estadual de Saúde.

“Sobre o Adicional de Insalubridade, o governo diz que paga 5, 10 e 20%, mas não é verdade. Nossa insalubridade está congelada desde 2007. O governo alega que não tem uma regulamentação e nós exigimos que se providencie, que regulamente a insalubridade dos servidores do Estado. Outra grande denúncia é o assédio que os servidores estão sofrendo nos hospitais. Não dá para esperar mais. Nós reconhecemos a dificuldade do momento com essa pandemia, mas o governo massacra o servidor há muito tempo, não dá mais para aguentar. Então todos os sindicatos estão unidos, pedindo respeito, valorização e equipamentos de proteção de qualidade e em quantidade adequada”, ressalta Geane Sousa.

Falta de transporte

A presidenta do SINDESPI ressalta ainda que os servidores estão sem transporte público, tendo que pagar para poder ir trabalhar. “Os ônibus estão há mais de 30 dias parados, não tem transporte público. O governo não faz nada e os servidores estão tendo que pagar transporte particular, diminuindo ainda mais seus salários que já estão defasados. Praticamente estão pagando para trabalhar”, denuncia Geane Sousa.

O Governo do Piauí divulgou a seguinte nota sobre a greve:

O Governo do Estado lamenta a decisão do Sindicato dos Enfermeiros de deflagar uma greve em meio ao maior desafio de saúde pública dos últimos 100 anos. Tal decisão pode trazer prejuízos vitais para a sociedade. Ressaltamos que todos os profissionais estão com salários em dia, que o adicional de insalubridade é pago normalmente, conforme determina a legislação estadual, e que não há falta de EPIs em nenhuma unidade de saúde, não havendo, assim, motivos para paralisação.

Ressaltamos ainda que, caso o movimento se concretize, o Governo irá tomar as medidas cabíveis por meio judicial e administrativo para garantir o atendimento pleno da população.

FONTE: Cidadeverde
Portal Mandacaru no Facebook:
Notícias recomendadas
Últimas notícias
Mais lidas do mês
Portal Mandacaru | O nº 1 em notícias de São João do Piauí e região

End: Travessa Adail Coelho Maia - Cel: (86) 99525-8210 - Redação: [email protected]

© Copyright 2021 - Portal Mandacaru - Todos os direitos reservados

Site desenvolvido pela Lenium