São João do Piauí, 24 de junho de 2021
(86) 995258210
Geral
Joe
Por: Joe
Câmara dos Deputados aprova texto-base da regulamentação do novo Fundeb
Câmara dos Deputados aprova texto-base da regulamentação do novo Fundeb
10/12/2020 21h43

Deputados aprovaram, nesta quinta-feira (10), o texto-base do projeto que regulamenta como o novo Fundo Nacional da Educação Básica (Fundeb) deverá ser distribuído pelo país. Falta ainda a análise dos destaques e, após essa fase, o texto seguirá para o Senado.

O Congresso precisa concluir a votação desse projeto até o fim do ano para que o Fundeb seja efetivado. Sem isso, municípios podem perder recursos para o ensino, que virá da complementação da União, de acordo com a proposta aprovada e incluída na Constituição de forma permanente em agosto deste ano. Antes, o fundo tinha prazo de validade e acabaria agora em dezembro.

O fundo funciona como uma conta bancária que recebe 20% do que é arrecadado em impostos, na maioria estaduais, como ICMS e IPVA. Até agora esse dinheiro era dividido pelo número de alunos em cada estado. O resultado dessa conta não podia ser inferior ao valor mínimo por estudante estipulado pelo governo federal, cerca de R$ 3 mil - agora ele pode chegar a R$ 5,7 mil. Os estados mais pobres ganhavam ajuda financeira da União, que representava 10% do Fundeb.

Com a aprovação de agosto, o governo federal passa a responder por 23% do total dos recursos, que vão aumentar gradativamente durante seis anos. Em 2021, serão 12% e em 2022, 15%. Depois, crescerão em dois pontos porcentuais a cada ano. Além disso, 2 5% irão para municípios que tiverem melhores resultados de aprendizagem, mas os detalhes ainda serão definidos em lei complementar.

Pelo texto aprovado na Câmara, ainda não é possível saber quanto cada estado e município receberá. Alguns indicadores serão definidos pelos parlamentares no próximo ano e outras normas devem ser estabelecidas por meio de decretos e portarias do Executivo.

Custo Aluno Qualidade (CAQ) no Fundeb

O relator do projeto Felipe Rigoni (PSB-ES) retomou na última versão do seu texto, apresentado nesta quinta no plenário, o Custo Aluno Qualidade (CAQ), um parâmetro de financiamento educacional previsto no Plano Nacional de Educação (PNE) e que define qual deve ser o investimento por aluno para garantir a qualidade na educação. Versões anteriores eliminavam esse item.

Considerando os novos recursos, 10,5% serão transferidos para redes que não alcançarem um valor mínimo de investimento por aluno, beneficiando municípios mais pobres. Outros 2,5% serão repassados unicamente a cidades para que tiveram mais evolução em seus indicadores educacionais.

A votação do texto-base foi simbólica, sem a contagem dos votos, mas teve amplo apoio dos partidos da Casa.

FONTE: Gazetadopovo
Portal Mandacaru no Facebook:
Notícias recomendadas
Últimas notícias
Mais lidas do mês
Portal Mandacaru | O nº 1 em notícias de São João do Piauí e região

End: Travessa Adail Coelho Maia - Cel: (86) 99525-8210 - Redação: [email protected]

© Copyright 2021 - Portal Mandacaru - Todos os direitos reservados

Site desenvolvido pela Lenium